PUBLICIDADE

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) vai acompanhar as investigações do assassinato do juiz de Direito na 21ª Vara Cível da Comarca do Recife Paulo Torres Pereira da Silva. O magistrado, de 69 anos, foi morto a tiros dentro do seu carro, um modelo WR-V da marca Honda, na noite dessa quinta-feira (19), em Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife.

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do CNJ, ministro Luis Roberto Barroso, conversou com o presidente do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), desembargador Luiz Carlos de Barros Figueirêdo, e informou que o Conselho irá acompanhar o caso para garantir que os responsáveis pelo assassinato sejam punidos, segundo informação da TV Globo.

O crime

O assassinato do magistrado aconteceu por volta das 20h. De acordo com apuração da reportagem da Folha de Pernambuco, o juiz trafegava pela rua Maria Digna Gameiro quando quatro homens em um outro veículo, modelo Ônix da marca Chevrolet de cor vermelha, se aproximaram e “emparelharam”, atirando.Paulo Torres Pereira da Silva.

Uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionada e encaminhada ao local, mas o juiz foi encontrado sem vida.

Paulo Torres Pereira da Silva tinha quase 34 anos de magistratura. Por meio de notas oficiais, o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), a Associação de Magistrados de Pernambuco (Amepe) e o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) lamentaram o crime e aguardam uma investigação célere. Confira as notas abaixo:

Confira a nota do TJPE:

Nota de Pesar

Com profundo pesar, o Tribunal de Justiça de Pernambuco informa que o juiz Paulo Torres Pereira da Silva foi assassinado na noite desta quinta-feira (19/10). Conhecido como Paulão, o magistrado era muito querido por todos que fazem o judiciário pernambucano. Tinha 69 anos e era juiz há quase 34 anos. Em várias oportunidades, atuou como desembargador substituto. O Tribunal está entrando em contato com as autoridades policiais de Pernambuco e prestará todo o apoio necessário para o rápido esclarecimento do crime e a responsabilização dos culpados. Que Deus conforte os corações de familiares, parentes e amigos.

Confira a nota da Amepe:

Nota de Pesar e Repúdio

Com imenso pesar, a Associação dos Magistrados de Pernambuco AMEPE tomou conhecimento do assassinato do juiz Paulo Torres Pereira da Silva, na noite desta quinta-feira (19). A Diretoria da entidade presta a sua solidariedade a todos os familiares e amigos, e também manifesta repúdio e indignação à violência que culminou na morte do magistrado.

A AMEPE está acompanhando o caso junto às autoridades competentes e espera uma investigação célere sobre as circunstâncias que ocasionaram a morte do magistrado, com a punição dos responsáveis com o rigor da lei.

Confira a nota do MPPE:

O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) se solidariza com familiares, amigos e toda a magistratura pernambucana frente ao assassinato do Juiz Paulo Torres Pereira da Silva, titular da 21ª Vara Cível da Capital, ocorrido na noite desta quinta-feira (19/10).

De antemão, está se comunicando com as autoridades competentes para contribuir com o esclarecimento do crime e responsabilização dos autores.

Folhape

PUBLICIDADE